Publicado em 28 de fevereiro de 2017

Blocos Caricatos protagonizaram um verdadeiro espetáculo na Avenida Afonso Pena nesta segunda-feira (27/02) de carnaval

O desfile foi precedido pela apresentação do Corso Carnavalesco, que colocou na rua cerca de 20 carros das décadas de 1920 a 1970, com foliões fantasiados com indumentárias da época. A ideia, que partiu da Belotur o ano passado, é uma parceria com o Museu de Objeto e Veículo Antigo (Mova). Logo em seguida, para esquentar a abertura, um dos mais famosos blocos carnavalescos de BH, o Leão da Lagoinha, reinou com tradição e história pelas ruas. A Corte Real Momesca, composta pelo Rei Rafael Eduardo José Geraldo, a rainha Mariene Luíza Lopes Pereira e pela princesa Natália Moreno, sambou noite afora ao lado das agremiações.

De vermelho e branco, o Bloco Unidos da Zona Norte estreia no grupo principal com o enredo “Gostinho das Gerais, uma homenagem à culinária mineira. Café, pão de queijo, a broa, o frango com quiabo e a cachaça ganharam destaque na avenida”.

A Academia de Samba por Acaso, criado em 2008 no bairro Carlos Prates, arrastou os foliões com o sucesso de 2009 com o enredo “Do Pão de Queijo ao Tutu de Feijão”. Com mais de 130 componentes, a agremiação, campeã por cinco vezes do grupo principal coloriu a avenida de verde e rosa.

O Bloco Bacharéis do Samba celebrou a prosperidade e a riqueza com Alibabá e os 40 foliões, com direito a chuva de réplicas de notas de cem reais, Aladim, Sherazade e a lâmpada mágica.

O Inocentes do Santa Tereza animou a cidade com o samba-enredo “Os Inocentes da Era Medieval”. As 11 alas, incluindo os carros alegóricos, contaram com fantasias de morcego, joaninhas e castelos. O Bloco foi fundado no bairro Santa Tereza em 1973 por um grupo de amigos e conta com 160 integrantes.

A Acadêmicos da Vila Estrela saudou a referência histórica da comunicação, Chacrinha, com o enredo “Abelardo Barbosa a Vila Estrela está com tudo e não está Prosa. 100 anos de Chacrinha, o Velho Guerreiro”. A agremiação, que nasceu no Aglomerado Santa Lúcia, região- Centro-Sul de BH, abriu alas para palhaços acrobáticos, abacaxis, crianças com chapéus de pena, como usava o velho guerreiro, a saudosa jurada Elke Maravilha e, claro, as chacretes.

O Bloco Mulatos do Samba alegrou os foliões com o Seja o que Você quiser no Fantástico Mundo da Imaginação, Encanto e Magia. Um carro alegórico de dragão surpreendeu os foliões junto a uma bateria forte e bem marcada. O bloco também contou com destaques fantasiados de serpente e feiticeiras. Fundado em 2008, a agremiação reúne integrantes dos antigos bloco Mulatos do Carlos Prates e Demônios do Santo André.

O Bloco Estivadores do Havaí arrastou a plateia ao som de Luz! Samba! Ação! No cinema Estivadores interpretam a Canção! Alas e alegorias relembraram o Oscar, filmes, atores e personagens consagrados da história do cinema. As alas entraram em cena com personagens de Star Wars, Iron Man, Mulher Maravilha, Piratas do Caribe, entre outros . O cinema mudo também foi homenageado com a ala de Vagabundos, interpretado e criado por Charles Chaplin. Dentro de um carro alegórico de carrinho de pipoca que sustentava a estatueta dourada do Oscar, o destaque com fantasia de Marilyn Monroe brilhou com o clássico vestido branco. Fundado em 1984 por moradores de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o bloco tem hoje cerca de 150 integrantes.

Com muito brilho e cor, o Bloco Caricato Infiltrados do Santa Tereza declarou paixão incondicional ao samba com o enredo “Tudo por Amor “. A avenida dançou ao som do cavaquinho, com alas de soldados dourados, borboletas e alegorias de coração e cupido. O samba saudou casais famosos, como Adão e Eva a Romeu e Julieta. A agremiação, que sai às ruas pelo quinto ano consecutivo, foi fundada por moradores da Vila Dias, no bairro Santa Tereza.

Corsários do Samba exaltou a cidade com o enredo “BH no Ritmo da Alegria”. Capoeiristas mostraram axé e ginga na avenida. A caveira, símbolo da agremiação ganhou destaque no caminhão da bateria. Considerado o bloco mais antigo da capital, em atividade desde 1961, nunca deixou de sair às ruas.

Com alegria e tradição, os Invasores do Santo Antônio fechou a madrugada com o enredo “Ria da Bahia a Porta da Cidade, em cada Esquina uma Saudade”. A homenagem a uma das principais rua da cidade, que já inspirou poesias e monumentos, contou com saudações a personalidades e monumentos. A agremiação já levou o título de campeão por várias vezes.

Cada Bloco Caricato teve 30 minutos para se apresentar. As agremiações disputam uma premiação de R$ 25 mil para o campeão, R$ 12,5 mil para o vice e R$ 6.250,00 para o terceiro lugar. Os quesitos a serem avaliados são bateria, enredo, fantasia, alegoria e samba. O resultado sairá no dia 3 de março, às 19h, na Câmara Municipal de Belo Horizonte.

Escolas de Samba

Entram na Afonso Pena hoje, dia 28, Escolas de Samba, a partir de 20h. Uma apresentação do Afoxé Bandarerê precede os desfiles As agremiações disputam prêmios de R$ 50 mil para o primeiro lugar, R$ 25 mil, para o segundo, e R$ 12,5 mil para o terceiro colocado. Os quesitos avaliados são bateria, samba-enredo, enredo, conjunto harmônico, alegorias e adereços, fantasias, comissão de frente e desempenho do mestre-sala e da porta-bandeira.

Desfile de Escolas de Samba – 28 de fevereiro

Hora: Início às 20h

Abertura Afoxé Bandarerê

1º Grêmio Recreativo Escola de Samba Estrela do Vale

2º Grêmio Recreativo Escola de Samba Imperavi de Ouros

3º Grêmio Recreativo Acadêmicos de Venda Nova

4º Grêmio Recreativo Escola de Samba Cidade Jardim

Outras notícias